Quando brincar é lembrança que dói

Quadrinhos de Luís Felipe Garrocho: Bufas Danadas
Quadrinhos de Luís Felipe Garrocho: Bufas Danadas

Essas tirinhas me tocam duas vezes. Uma, pela história e pela arte. É feita diretamente no computador. Tem essa linha espontânea – quer dizer, não muito controlada – pela tecnologia, posso dizer, rudimentar mesmo. Coisas de quem curtiu o momento de desenhar no Paint – um programa de poucos recursos. E o resultado é essa coisa linda, que explora as próprias limitações do meio. Que se tornam suas possibilidades, seu plano de invenção. E o modo como cria suas histórias: um jeito de produzir anticlímax – como o Felipe me disse um dia. Aqui, o anticlímax é um retorno do primeiro quadrinho, mas que volta diferente. A outra coisa que me toca, eu deixo sugerida, nas linhas que se seguem.

Depois de tudo, esse é também um anticlímax no sentido de quebrar as imagens tão previamente construídas sobre o brincar. Uma idealização, muitas vezes. Aqui, o brincar também tem sua dor. Aliás, não poderia deixar de ser isso. O brincar, intercalado entre dois quadros: o de ficar ali, no sofá, diante da TV e o divórcio dos pais. Interessante como as imagens sequenciais abrem sentidos que não se fecham. E eu tenho cá minhas leituras: pela criança que fui, e por me sentir parte dessa história de Felipe. Se eu vi um menino brincar e construí algo disso, agora tudo se desfaz e refaz sob outros signos, outras luzes.  

As tirinhas fazem parte do blog Bufas Danadas. E ele conta que começou fazendo isso meio de “brincadeira”. Depois, entrou numa parceria com Eduardo Damasceno e juntos criaram os Quadrinhos Rasos: feitos a partir de letras de música. E daí, com um sucesso tremendo, a dupla criaram uma HQ que é um primor: Achados e perdidos. O próximo passo será o Cosmonauta Cosmos, pronto para sair. O primeiro livre pode ser lido também por crianças que já conseguem se ligar nesse universo existencial – dos achados e perdidos da vida. O segundo, acredito que poderá ser bem recebido pelo público infantil, sem contar, é claro, que Damasceno e Felipe não criam para nichos, mas para qualquer um.  Já Bufas Danadas, na maior parte das tirinhas, tem um humor peculiar, mais para adolescentes e adultos, acho.

Mais referências

Bufas Danadas

Quadrinhos rasos

Uma opinião sobre “Quando brincar é lembrança que dói”

  1. Profunda a mensagem da tirinha! Depois que fui mãe (fazem quase 7 anos), vejo alegria e dor em muita coisa. Sou mais nostálgica em relação à minha infância – acho que por meus pais estarem bem idosos. Nostálgica por não querer os problemas de hoje.

    Sinto alegria de ver que se existe um ser maravilhoso, um deles é a criança (o outro o idoso). Mas sinto dor por ver tanta criança precisando ser feliz, seja em sua vida de direitos ou em casa.

    Quando há uma separação fico triste. Acho que seria dever toda criança ter seus pais juntos.

    Dor e amor. Tudo se mistura na infância e na maternidade.

    Beijos grandes!!!

    Teresinha Nolasco
    Autora do blog: Bolhinhas de Sabão para Maria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *